RESPEITO À IMAGEM

PROGRAMA MAIS VOCÊ - 26/4

No dia 26/4 - Dia da Empregada Doméstica, Ana Maria Braga, em seu programa Mais Você, se referiu a Empregada Doméstica como "Secretária do Lar"

Enviamos o seguinte e-mail a produção:

ANA MARIA BRAGA

PROGRAMA MAIS VOCÊ - [email protected]

Prezada Ana Maria,

A profissão de secretariado é a 3ª profissão do mundo e uma das que mais cresce, de acordo com pesquisa divulgada pela ONU. No Brasil, a profissão é regulamentada pelas Leis 7377/85 e 9261/96, desde 1985. No livro "O Trabalho das Nações – Preparando para o Capitalismo no Século 21", Robert Reich, autor e analista político, afirma que a profissão de secretariado está entre o seleto grupo de atividades de "Rotina", "Interpessoais" e "Analítico-Simbólicas", as quais permanecerão neste Século 21.

Ao enquadrar-se nestas atividades, notadamente as "Analítico-simbólicas", os profissionais de secretariado precisam ter, hoje, um novo perfil: gestor de pessoas, centrado no cliente, domínio da tecnologia da informação, de um outro idioma, que entenda e participe das metas e diretrizes da Empresa, o que os torna capazes de assessorar os responsáveis pelos Centros Decisórios de qualquer Organização.

Da mesma forma, as empregadas domésticas, profissão também regulamentada, devem ter um novo perfil, adaptado a este mundo em constante mudança e de grande tecnologia, mas que é completamente diferente do perfil secretarial e, portanto, sem nenhuma condição de comparação ou de denominação.

No programa "Mais Você" do dia 26-04, ao comemorar mais um dia  doméstica, as mesmas foram mencionadas como "Secretárias do Lar".

Mesmo que, em muitas situações o local de trabalho de uma secretária seja na residência do seu empregador, certamente será em um escritório, envolvida com papéis, computadores, telefones, fax, atendimento a clientes; diferente, em muito, da atividade de uma empregada doméstica.

Os meios de comunicação e muito mais as pessoas carismáticas como você, que levam a informação a todas as camadas sociais, deveriam ter sempre a preocupação de não confundir a imagem de nenhuma profissão, mesmo que de forma não intencional. Um programa de qualidade como o seu certamente tem, dentre os seus telespectadores, integrantes das mais diversas profissões, inclusive da Categoria Secretarial, a qual soma mais de 2 milhões. E comparações equivocadas não são informações verdadeiras.

As Entidades Representativas da Categoria Secretarial no Brasil, Federação Nacional das Secretárias e Secretários e os Sindicatos Estaduais de Secretárias (os) poderão municiar este programa com informações reais sobre esta profissão, para que não seja confundida com nenhuma outra,  por mais de elite que seja.

Desejamos a você sucesso cada vez maior no seu programa e em sua vida pessoal.


Ana Maria Netto da Silva

Presidente SINSESC
Vice-Presidente FENASSEC – Região Sul


Conheça abaixo a opinião da apresentadora Ana Maria Braga e envie também seu e-mail de protesto para o email: [email protected]

A nossa correspondência endereçada à Ana Maria Braga informando-a sobre a profissão de secretariado para que não seja denominada de Empregada Doméstica (leia íntegra aqui) tem causado reflexos mil, pois Ana Maria falou no ar, nesta segunda-feira dia 13, que a Presidente do Sindicato das Secretárias de Santa Catarina - Ana Maria Netto da Silva, é preconceituosa em relação às empregadas domésticas.

Abaixo, correspondência que uma secretária já enviou ao programa e esperamos que cada secretária também mostre sua indignação, enviando emails.


Prezada "Empregada Doméstica ANA MARIA BRAGA":

Posso chamá-la assim, não? Pois pelo que entendi hoje, vendo seu programa na última Segunda-feira, você não tem nenhum preconceito com as empregadas domésticas.

Sou Secretária, estudei para isso. No meu Estado são mais de 11 cursos superiores de Secretariado e a concorrência no Vestibular chega a ser de 15 para 1, em algumas universidades. Tenho atribuições que não se comparam em nenhum momento com as de minha empregada doméstica, por mais que a admire e a agradeça pelo que faz, colaborando para que minha família tenha conforto e tranqüilidade.

Portanto, nominalmente, também não há comparação. Eu sou secretária e ela é empregada doméstica. Duas profissões diferentes com nomenclaturas diferentes. Chamar uma de outra, demonstraria ignorância e desrespeito a ambas as profissões.

Por força de minha profissão, falo dois idiomas estrangeiros, além de corretamente o português. É com este auxílio que conecto a Organização onde atuo, com o resto do mundo. Domino também os softwares que existem para facilitar as rotinas administrativas, inclusive, agenda e arquivos eletrônicos. Com estas atribuições e outras milhares que não vem ao caso mencionar, é possível assessorar três Executivos, maximizando o seu tempo, para que focalizem seus esforços na tarefa gerencial: definição de metas, objetivos, diretrizes e políticas da empresa. Por causa disso, preciso entender de mercado, ser excelente negociadora, fazer a interface entre clientes e colaboradores e os Poder Decisórios, conhecer o produto, filosofia, concorrente e clientes da empresa, além de conhecedora da alma das pessoas, para administrar eficientemente relacionamentos e conflitos que diariamente ocorrem em nosso campo de trabalho.

Entendo, portanto, a preocupação das Dirigentes das Entidades que nos representam, em cada Estado e no Brasil, que precisam estar constantemente atentas para que nossa profissão não seja exposta a visões estereotipadas que ainda permanecem, principalmente na mídia.

Foi, portanto, com indignação que vi sua menção "debochada" relativamente a nossa profissão e à atuação do Sindicato das Secretárias do Estado de Santa Catarina - nossa entidade representativa em SC - e a sua Presidente, SRª Ana Maria Netto da Silva, no programa de hoje.

Assisti anteriormente a sua comparação da empregada doméstica à secretária e não me manifestei, exatamente pela confiança em nossas entidades de classe - Estado e Brasil -, pois as mesmas saberiam esclarecê-la sobre o assunto.

Deve ter sido o que aconteceu. E acredito que as Entidades - SINSESC e FENASSEC - tenham se manifestado, com informações concretas sobre a profissão, estatísticas, etc.

Seria interessante que estas informações fossem ao ar. Esclareceria a sociedade sobre nossa profissão e, certamente eliminaria o equívoco que ainda permanece entre as donas de casa, principalmente que, por ignorância a respeito da profissão, denominam suas empregadas domésticas de "secretárias do lar".

Empregada Doméstica também é profissão regulamentada, mas não necessita de formação específica. É nossa auxiliar na organização da casa e sua denominação é exatamente assim: "Empregada Doméstica".

Secretária é profissão regulamentada desde 1985 e exige formação em secretariado, de nível médio ou superior, a exemplo de outras profissões. É a auxiliar do Poder de Decisão na maximização do seu tempo e na organização das rotinas administrativa. A Lei denomina esta profissional de "Secretária".

Médica e Advogada são também profissões regulamentadas. Precisam de formação específica, a exemplo da secretária, e suas denominações são respectivamente, "Médica e Advogada" .

Apresentador de TV não é uma profissão e sim uma função, mas exige preparo para o seu exercício. Apresentadores de TV são nossos auxiliares na construção do lazer.

E eu nunca ouvi ninguém se confundir com a denominação destes profissões. Seria, no mínimo, estranho, chamarmos os profissionais da medicina de "Minha Secretária da Enfermidade"; as advogadas de "Minhas Secretárias do Direito" ou ainda as Apresentadoras de TV de "Minha Secretária do Lazer".

Sem nenhum preconceito com nenhuma profissão, o que queremos é respeito e a sua correta denominação. Até porque o que temos de mais sagrado é nosso nome de batismo. E isto pode se estender para nossas profissões.

Fica aqui minha mensagem e, infelizmente minha decepção. Como eu, milhares de secretárias devem ter visto o brilho, a garra e o carisma de Ana Maria Braga diminuir drasticamente nesta Segunda-feira (13-05). Errar é humano, mas persistir no erro não é salutar, não é humilde.

Fica aqui também minha sugestão: entreviste uma secretária, que tenha habilitação em secretariado ou registro profissional no Órgão Competente; ou ainda, ouça nossas Entidades de Classe - FENASSEC e Sindicatos Estaduais de Secretárias - para que os equívocos se esclareçam.

Elizabeth Pugiski
Florianópolis - Santa Catarina